Friday, May 05, 2006


Hoje, de manhãzinha, no Largo de Infantaria 7, em Leiria.
Falta de consideração pelo património público e de civismo em geral.
Repare-se na barbárie a que se chega para fazer publicidade, nem sei bem a quê!... no próprio monumento aos mortos da I Grande Guerra e a todos os mortos em combate em nome e defesa, directa ou indirectamente, da Pátria Portuguesa.
(Em contra-ponto veja-se a foto do conjunto daquele Largo. Bonito!...)

4 comments:

3za said...

António, vim aqui falar da rosa amarela... pois fiz um comentário no Dispersamente (a propósito do Vale a pena) e , logo de seguida, deixei de ter acesso à página. Tentei tudo, mas só me aparece uma página branca. Aos outros blogs seus consigo aceder com facilidade.

E como uma rosa fica bem em qualquer lado, venho dizer aqui neste espaço que a rosa amarela do Dispersamente, que permaneceu incógnita algum tempo, recuperou o lugar de destaque obrigando-nos a pensar se valerá a pena andar tanto tempo a correr... de olhos fechados.

Rui M S Ferreira said...

Olá! Aqui tem mais um leitor do seu blog. Venho juntar-me ao repúdio da vandalização do nosso património - que é de todos. Já reparou no mobiliário urbano que está na nova pista da Nova Leiria (entre a ponte do Arrabalde e a ponte Euro 2004)? Ou melhor, se calhar não reparou porque foi roubada.... Enfim..

Rui

asn said...

Olá, boa tarde, 9 de Maio de 2006
Cara Teresa, não sei o que se terá passado, mas aquela belíssima rosa amarela, lá está, no Dispersamente. Talvez se tenha eclipsado nalgum momento em que eu estaria a fazer manutenção do blog.
Já deu para perceber que gosta muito de rosas e das flores em geral. Quem pode não gostar? E apreciar, parar um bocadinho que seja o filme da sua própria vida e fixar o olhar numa flor, numa árvore, num arbusto, na relva, sentir a brisa a passar, suave, a correr sem destino, a chamar por nós... Acordem, insensíveis...os poderosos (julgam eles) que têm nas mãos a capacidade de tornar a vida mais humana, mais integrada na Natureza. Loucos que se esquecem que somos parte intrínseca da Natureza, que é a única razão da Vida.
António

asn said...

Amigo Rui
Fiquei muito interessado no tema que me está a propor. A verdade é que andamos por aqui, no dia a dia, e apesar de toda a atenção que vou prestando à forma como vamos levando a Vida em Leiria, há sempre pormenores que nos escapam.
Roubaram material colocado naquela pista? Não me espanta nada! Leiria está, progressiva e inexoravelmente, a transformar-se numa metrópole onde começa a ser difícil identificar-mos a nossa cidade, onde só existe policiamento em dias de futebol ou de feira ou nos locais onde se possam multar os automobilistas com facilidade.
De quem é a culpa? É claro que todos nós teremos que arcar com a nossa quota-parte. Mas há, de certeza, quem tenha quotas muito elevadas e pouco ou nada se incomoda, desde que a vida lhes corra de feição!...